RSS Feed

Exista na Internet

Posted on Wednesday, June 16, 2010 in Convidados, Podcast

Está no ar mais um episódio do Tradcast!

Apesar da equipe desfalcada – sem o Marcelo -, temos um convidado especial: Roney Belhassof, consultor de presença online, que veio falar um pouco sobre mídias sociais e convívio online.

Começamos a gravar às 9h de hoje, gravamos até 11h30 e estava tudo lindo e maravilhoso, mas perdemos tudo e tivemos de começar do zero. Voltamos a gravar à tarde. Entre gravação e edição, foram quase seis horas de trabalho para gerar um episódio de 45 minutos. Sem contar a manhã perdida! Doideira, né? Mas a gente se divertiu e espera que vocês curtam.

Referências do episódio:

Mensagem do Disney Channel sobre comportamento online (em inglês, sem legendas)

Mensagem do Disney Channel sobre comportamento online (em português)

Vou xingar muito no Twitter

50302, a comunidade de Tradutores e Intérpretes no Orkut

Mimimi

Six Degrees

Como disseram Phineas e Ferb no vídeo do Disney Channel, não se esqueçam de encontrar os amigos ao vivo de vez em quando. “O off-line fica muito mais rico quando você tem um contato on-line também”.

Bring on the comments

  1. Adorei!Sou fã de carteirinha desse podcast desde já!

    Quanto ao vídeo do Phinneas e Ferb, eu até dei uma busca rápida no youtube, mas não achei, mas tem em português, passa direto no Disney Channel que as crianças aqui assistem. Seria uma boa incluir tb.

    Depois vou procurar com calma e se achar aviso aqui.

    beijos

    • Érika says:

      Oi Dri,

      Fico feliz que gostou e que virou fã – só que aumentou nossa pressão agora :). Quanto ao vídeo, eles já estão todos no post. Basta clicar na descrição (passa o mouse por cima ;)).

      Bj

  2. Jacqueline says:

    Pois é, gostaria de fazer um site meu dedicado a tradução, mas sinceramente não sei muito que dizer nesse site. Não sei se é por ter 3 blogs de assuntos diferentes (culinária, cinema e cães) que mal dou conta de atualizar ou se e porque fico pensando: “pô, vou escrever o q?”.

    Sobre o twitter: inicialmente criei um perfil para o meu hotel para cães, mas não tive o retorno que desejei, um dia vi diversos “seguidores” spam. Deletei esses seguidores, no dia seguinte, a mesma coisa, então decidi fechar para evitar spam. Não quero ficar colecionando seguidores-spam.

    Depois o uso do twitter acabou ficando misto: hotel e tradução, mas nenhum cliente, só parceiros.

    Acho que na verdade ainda não uso o twitter como deveria e gostaria. Vou repensar esse uso do twitter…

  3. Que trampo, hein? Mas valeu a pena, o segundo está também uma delícia. Já esperando o próximo. 😉

  4. Adorei, gente! Quero outro pra logo mais, senão vou xingar muito no twitter…

    Minha sugestão é fazerem umas entrevistas com esses tradutores que não têm nada pra fazer e fica no twitter o dia todo. De resto, adorei o bom humor, os temas tratados…

    Parecia conversa entre amigos, daquelas que dá vontade de participar, mas não dá pq é gravado. 😀

    • Érika says:

      Não precisa xingar muito no twitter, não! Estaremos de volta! Mas quem disse que você não pode participar? Manda um email para a gente com uma sugestão de pauta… Quem sabe você não estará em um próximo episódio? 🙂
      Obrigada!!

  5. Olá.
    Gostei do papo. Bem informal e gostoso. Quase que eu conversei junto, daí me dei conta que eu não estava na conversa…ahahah
    Beijos,
    Aline

  6. […] porém, é diferente. Já lançamos, quebramos o gelo. Esse post, aliás, é para anunciar o segundo episódio o/. Espero que nos prestigiem. Ouçam, comentem, enviem sugestões. O começo é complicado, […]

  7. Thays says:

    Adorei também!

    E tenho uma contribuição sobre os chatos:

    O chato do e-mail é o que manda correntes, mas esse já é batido.

    O chato do orkut é aquele que manda mensagem com musiquinha! Argh!

    O chato do twitter é o que só reclama e floda a timeline. Que vasculha a timeline cada vez que entra e responde tweets de 2 dias atrás.

    O chato do FB é o que posta atualizações da Fazendinha e similares no próprio status, onde as pessoas não podem filtrar.

    O chato de MSN e Skype, pro tradutor, é aquele amigo de colégio que entra lá à noite pra relaxar e te chama todo dia pra dizer oi e mais nada. Ou pra pedir trabalho de graça. Ou dizem ainda que é o que não sabe usar o status (coisa que eu não sei – deixo online como secretária eletrônica XD).

    ____

    E uma crítica boba de uma ouvinte impaciente. Acho que a musiquinha de abertura poderia ser menor. Fico ansiosa querendo ouvir logo o podcast XD

  8. Rodrigo Valdés says:

    Gente, que legal! Adorei o papo relaxado. O som tá muito bom tb. Parabéns pela ideia. Já estou esperando o próximo.

  9. quero fazer um trabalho sobre essa coisa de se existir online que o Roney falou. Acho até que de usuário compartilhador e participativo o internauta tá virando produto na Web. Sinto que há uma disputa entre as redes para se conquistar o usuário. Estou procurando um gancho pra escrever sobre isso. Quero tentar uma vaga de mestrado com esse projeto. No mais adoro uma série e tô adorando o tradcast. Estou aguardando os próximos episódios e rezando pra renovarem a temporada!

  10. Maria Marques says:

    Ideia simpática e criativa, autores/locutores mais ainda. Parabéns pela iniciativa e muito sucesso!

  11. Jevoux says:

    Excelente podcast. Conheci o tradcast no 2o post de vocês e assinei o feed na hora. Espero ansiosamente o próximo episódio. Não saiam desse estilo, papo informal, relaxado, caiu como uma luva pro bom humor de vocês.

    Eu sou estudante de letras e aspirante a tradutor, por isso tem alguns temas que eu gostaria de ver serem abordados, posso mandar idéias por e-mail?

  12. Muito, muito bom mesmo. Uma coisa séria que não precisou poupar risadas. Parabéns pelo trabalho.

    Para o próximo, sugiro como pauta a formação “adequada” para ser tradutor. Curso técnico? Faculdade de Letras? Intercâmbio? Falo isso, pois tenho um interesse na área. Apesar de estar terminando meu curso técnico de informática, ainda estou tendencio à tradução (talvez simultânea).

  13. (obviamente puxando sardinha pro meu lado, sobre o avatar)

    Decidi investir mais na minha carreira de ilustradora (sou designer também) e por conta disso, adotei em tudo que é lugar um auto-retrato (autorretrato? autoretrato? socorro!) desenhado. Foi uma ação pensada e planejada. Nem sempre usar algo diferente de foto significa “se esconder” ou similares.

    #mimimi 😀

  14. Maria Clara says:

    Estou atrasada e só agora parei para ouvir os podcasts com atenção, mas já vou dizendo que estou adorando!

    Parabéns ao trio pela iniciativa. Muito sucesso pra vocês!

Leave a Reply

Google+