RSS Feed

Onde você trabalha?

Posted on Tuesday, September 28, 2010 in Podcast

Estamos de volta em novo dia! Anote na sua agenda que passaremos a publicar às terças-feiras.

O episódio de hoje fala um pouco sobre os prós e contras de trabalhar como autônomo ou como contratado. Além disso, falamos um pouco sobre procrastinação, uma praga que atinge os autônomos. Se você frequenta comunidades de tradutores, Twitter, Facebook e afins, sabe que não é só com você que isso acontece.

Tivemos a participação mais que especial da Flávia Souto Maior falando dos programas que ela usa para impedir que os intervalos na produção se tornem longos demais.

Lembrem-se: concentrem-se na produção, mas, quando tiverem uma pausa, ouçam o programa e comuniquem-se conosco!

Referências do episódio:

Concentrate (software pago para Mac OS)

Self Control (software gratuito para Mac OS)

Pomodoro Technique

Curtiram as músicas? São da banda “Still Nameless“: “New” e “Bluesin‘”.

Assine no iTunes

Bring on the comments

  1. Ana Viegas says:

    Adorei o episódio. Muito legal vocês compartilharem o que vivem no dia-a-dia e eu, como tradutora, ver que nossas vidas são bem parecidas! Dei várias risadas e aprendi finalmente o que é a tal da sigla #MFL que sempre rola pelo Twitter! Obrigada e parabéns!

  2. Aline says:

    Gente, adorei o TradCast! Muito boa a iniciativa, ouço as gravações no caminho para a faculdade, já estou no aguardo da próxima. 😛
    Uma sugestão para uma discussão: eu quero saber como será os trabalhos de tradução e interpretação na Copa e nas Olimpíadas aqui no Brasil. Terão mais atividades para intérpretes do que para tradutores? Será fácil viajar pelo país se for preciso (pessoal de São Paulo e Rio ir pro Nordeste por exemplo)? Só os Tradutores/Intérpretes experientes e/ou com bons contatos conseguirão trabalho fácil?
    Brigada, beijão!

  3. Maria Clara says:

    (Eu reclamei que não tinha conseguido ouvir e só hoje consegui terminar… Vergonha!!)

    Adorei esse episódio! Me vi em praticamente todas as situações que vocês descreveram. Todo muito diz: “Nossa, trabalhar em casa, que maravilha! Deve ser ótimo você fazer seu próprio horário.” Eu gosto disso sim, mas as pessoas que dizem isso geralmente nem imaginam que, assim, a gente acaba trabalhando (muito) mais do que quem bate ponto todo dia — e tem feriado, fim de semana, férias etc.

    Enfim, tudo tem seu lado bom e seu lado ruim também, mas o fato é que eu não troco trabalhar em casa (ou levar a “quitanda” para me der nas ideias) por nada no mundo mais.

    Parabéns, pessoal! Adoro o Tradcast. Informativo, descontraído, divertido, engraçado.

    bjos

    PS: adorei o episódio da Dafne também. Mais vergonha ainda, mas só terminei de ouvir ontem.

  4. […] falamos sobre as diferenças entre ser tradutor autônomo e contratado no Tradcast tempos atrás. Ouve […]

Leave a Reply

Google+